Reforma da gestão e avanço social em uma economia semi-estagnada

Conteúdo do artigo principal

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Resumo

Vinte anos após a transição para a democracia no Brasil, percebemos que o desenvolvimento político e institucional foi considerável: a democracia está atualmente consolidada e suas instituições estão sendo permanentemente aprimoradas. A reforma da gestão pública de 1995-98 é parte desse grande processo. Tendo respondido a uma necessidade social e valorizado o alto servidor público, a reforma vem sendo gradualmente implantada nos níveis federal, estadual e municipal. O desenvolvimento social também tem sido significativo desde 1980, o que é comprovado pela melhoria dos indicadores sociais. Isso foi possível porque os gastos sociais per capita aumentaram 43,4% entre 1980 e 2000. Entretanto, no mesmo período, a renda per capita aumentou apenas 8,5%. Inicialmente, as crises da dívida e do Estado e a inflação alta estavam por trás da semiestagnação. Desde que se atingiu a estabilidade de preços em 1994, políticas macroeconômicas equivocadas, adotadas após uma ortodoxia convencional, explicam os resultados ruins.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Bresser-Pereira, L. C. (2004). Reforma da gestão e avanço social em uma economia semi-estagnada. Revista De Administração Pública, 38(4), 543 a 560. Recuperado de https://hml-bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6760
Seção
Artigos